Crônica

De outros tempos

Entre velhas fórmulas e novas ideias, "Pecado Mortal" acerta ao investir no estilo "novelão"

por Geraldo Bessa
TV Press

 

Para o bem e para o mal, Carlos Lombardi mantém-se fiel ao seu estilo em "Pecado Mortal", da Record. Ao longo do desenvolvimento da trama, fica cada vez mais nítida a inspiração, ou repetição, do autor em pontos importantes da novela. Esta autorreferência não chega a ser um demérito. Afinal, craque em cenas longas e recheadas de bons diálogos, Lombardi parece querer construir seu folhetim de estreia na emissora nos moldes de um bom "novelão". E, para isso, abusa de fórmulas já utilizadas anteriormente em novelas como "Quatro por Quatro", de 1994, e, sobretudo,"Kubanacan", de 2003.

Chega a ser impossível assistir às inúmeras cenas de Carlão, desmemoriado e cabeludo protagonista de Fernando Pavão, sem lembrar do não menos "esquecido" Esteban, o "pescador parrudo" vivido por Marcos Pasquim na trama de 2003. Ambos têm desvios de personalidade, causam "frisson" no elenco feminino e passam capítulos e mais capítulos sem vestir uma camisa sequer. Ao lado de Pavão, a sempre eficiente Simone Spoladore dá o ar de novidade ao casal. Muito associada às personagens densas que já fez, a atriz alterna bem entre a sisudez e a doçura de sua Patrícia.

Ao redor da história da dupla, Lombardi apresenta seus melhores personagens paralelos em anos, com destaque para os vilões Picasso e Michelle, de Vitor Hugo e Luiz Guilherme. Atores acostumados a tipos secundários dentro das tramas, ambos seguram a parte mais melodramática e as sequências mais fortes de "Pecado Mortal". Mesmo utilizando referências antigas, Lombardi soube adaptar muito bem seu texto ao horário mais "livre" em que a novela é exibida. Tudo bem que as "tensões" sexuais que rondam diversos casais têm justificativas vazias, dignas de filmes eróticos, mas o autor sabe se utilizar de eficientes cenas de ação.

Embora a reconstituição dos anos 1970, por vezes, apresente falhas, "Pecado Mortal" evidencia o avanço técnico da Record na área de teledramaturgia. Com elenco simpático e cheio de bons momentos – casos de Juliana Didone, Betty Lago e Carla Cabral, entre outros –, texto afiado e trilha sonora contagiante, a novela ainda não conseguiu elevar o horário de novelas da Record aos almejados dois dígitos de audiência. Uma pena, pois para quem gosta de folhetim à moda antiga, "Pecado Mortal" é um prato cheio.

 

"Pecado Mortal" – Record – De segunda a sexta, às 22:30 h.

 
Equipe de
profissionais especializados
e com mais de20 anos
de experiência

Conheça quem são os profissionais que produzem as mais instigantes pautas sobre o mundo da televisão, para quem quer ter prazer ao ler.